Comunicação e Saúde é tema de conferência durante a semana de acolhimento da FS

Na noite da última quarta-feira (09), a Faculdade de Ciências da Saúde, por meio do Laboratório de Educação, Informação e Comunicação em Saúde da Universidade de Brasília (FS/ECOS/UnB), em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), abriu as portas para receber a canadense Lise Renaud, Professora, PhD, idealizadora do Centro de Investigação em Comunicação e Saúde (ComSanté) e vice-diretora de Pesquisa e Criação da Faculdade de Comunicação na Université du Québec à Montréal (UQAM/CANADÁ), responsável por conduzir a Conferência “Comunicação para a Saúde”.

A atividade foi realizada durante a Semana de Acolhimento da FS e contou com a participação de estudantes, professores, servidores, colaboradores e profissionais das áreas da saúde e comunicação de instituições públicas e privadas do Distrito Federal.

A coordenadora do Ecos professora Ana Valéria Mendonça abriu a conferência dando boas vindas ao público, agradecendo a presença da conferencista Lise Renaud e destacando a importância do tema escolhido para a Conferência e o trabalho que vem sendo desenvolvido na parceria entre Canadá e Brasil na área de comunicação e saúde.

“A comunicação é um tema importantíssimo e não esta na academia à toa. É foco de atenção de todos os países desenvolvidos e também do Brasil. Investimos tanto na comunicação e ainda cometemos os mesmos erros, logo, algo de errado tem aí, não sabemos o que é, mas podemos discutir sobre”.

Após a fala de abertura da professora Ana Valéria, a conferencista Lise Renaud iniciou sua palestra com um questionamento aos participantes: “Se eu falar em comunicação e saúde o que vocês pensam imediatamente?” A resposta para a pergunta acima foi o que norteou toda a exposição da canadense, que fez questão de mostrar que a comunicação e saúde é muito mais que “internet e campanha de mídia” como a maioria das pessoas costumam responder à pergunta apresentada por Lise no início de sua apresentação.

Segundo Lise, a comunicação interpessoal é a que mais influencia na mudança de comportamento das pessoas e pode, ainda, contribuir para mudar a visão dos mais variados segmentos da sociedade no âmbito da saúde, como, por exemplo, os tomadores de decisão,  profissionais de saúde, pacientes e grupos comunitários. Dentre os temas discutidos pela conferencista destacou-se a comunicação e promoção da saúde, os paradigmas e formas de pensar a comunicação para a saúde, eixos da comunicação, o papel da comunicação e a atuação dos atores envolvidos nesse processo.

Lise também abordou temas atuais como a epidemia de Zica Vírus que, de acordo com a OMS constitui-se uma “emergência de saúde pública de importância internacional”, e ressaltou o papel dos meios de comunicação para que a população seja informada sobre seus principais problemas de saúde e possam participar dos processos de resolução. “A saúde permanece uma preocupação para a totalidade dos governos do planeta: multiplicação de epidemias, aumento da obesidade, das DST-AIDS, etc. Para combater os problemas de saúde, os meios de comunicação são largamente utilizados pelos governos para levar a população ao alcance de um estado de bem-estar físico, mental e social”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *